Publicado por: peregrino | 16 de Dezembro de 2012

O Grinch (III)

Antes de prosseguir sugere-se a leitura das primeiras duas parte deste artigo (Parte I e Parte II)

TCDHOTH EC004Mas numa fidelidade quase canina ao espírito de Grinch não se fiquem unicamente pelos feriados civis! Como se o Cristianismo não tivesse tido suprema importância na nossa definição enquanto nacionalidade destituam-se também os feriados religiosos! Apaguem da memória colectiva o nosso passado, a nossa identidade, as nossas origens. Vá, dêem o golpe de misericórdia na Portugalidade. Não é isso que os Grinhes deste País (e não só) tanto desejam?

Já acabaram com o 1º de Novembro (o que não faz sentido já que o Povo Português já está mesmo mais morto que vivo) e com o 15 de Agosto. Podem então prosseguir e acabar com o 8 de Dezembro também (até surpreende que a república não tenha conseguido acabar com ele dada a história desta festividade). Continuem e acabem também com o Natal seguido da Sexta-Feira Santa e culminando com a proibição da Páscoa (que, para o efeito, já nem importa que calhe sempre a um Domingo)!

Vá! Ignorem as origens nacionais e “democraticamente” proíbam o culto Cristão e persigam os seus seguidores. Saqueiem os Templos e destruam qualquer alusão pública ao Cristianismo. Tudo isto na maior democracia baseada, naturalmente, na mais profunda ética republicana. Tudo a bem de Portugal, claro. Só resta saber quem será Portugal para esses Grinches que por aí andam!

Mas depois de fazer tudo isto chegar-se-á à conclusão que ainda não foi suficiente para aumentar a produtividade e tirar Portugal da falência.

Mas e que tal retirar os fins-de-semana também? E as férias já agora! Afinal, segundo parece, os Grinches acham que os portugueses não são seres humanos e, portanto, não só não têm direito a uma identidade própria como não devem ter direito ao descanso (dos outros direito já nem se fala porque quase já nem existem).

Já viram Grinches, perdão, Ilustríssimos Senhores Grinches? Desta forma veriam a população a trabalhar 365 dias ao ano (366 nos anos bissextos para vosso delírio).

Contudo, ainda assim, Portugal não sairia do ‘buraco’ em que o meteram! E sabem porquê? Porque vós sois demasiados e comeis demasiado! Pior ainda é que, quais vampiros, nunca estais saciados!

Mas, Senhores Grinches, ainda que façam as maiores barbaridades os vossos intentos não triunfarão. E não triunfarão porque existe um Poder Superior que o impedirá! Não triunfarão porque haverá sempre quem resista; quem diga não à arrogância e prepotência! Não triunfarão porque haverá sempre alguém que, ainda que no limite das suas forças, se recuse subjugar ao poder da tirania! Nada se consegue sobrepor à vontade de um povo inteiro! Finalmente não triunfarão porque o mal, mais cedo ou mais tarde, será esmagado pelo bem.

O Grinch é um personagem fictício mas que em Portugal parece ganhar vida! É um personagem odiado por todos que o ‘conhecem’ mas que felizmente está, desde o inicio, condenado à derrota! Abaixo os Grinches!

 

Anúncios

Responses

  1. […] (continua) […]


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: